Zulu Araújo

flica-2017-zulu-araujo

Atualmente, diretor da Fundação Pedro Calmon (FPC), vinculada da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, o baiano Edvaldo Mendes Araújo é mais conhecido como Zulu Araújo e é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia (1985) e Mestrando em Cultura e Desenvolvimento pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Zulu também integra o Conselho Estadual de Cultural (2015-2018). Com vasta experiência na área cultural, destacam-se a coordenação geral do III Festival Mundial de Artes Negras, (FESMAN), realizado no Senegal, além da coordenação Geral da II Conferência de Intelectuais da África e da Diáspora realizado no Brasil.

Araújo também coordenou o “II Encontro Afro Latino e Caribenho”, no Teatro Castro Alves, em Salvador, que teve como tema “Força da Diáspora Africana”, contando com a presença de Ministros da Cultura de 12 países latinos, dentre eles, do Brasil, Colômbia, Argentina, Equador, Cuba, Jamaica, Panamá, Venezuela e de 05 organizações internacionais, as quais Unesco, Segib, Aecid. Neste evento, ocorreram shows de artistas como Carlinhos Brown, Elza Soares, Mariene de Castro e Richão pelo Brasil, além de Papa Rancon (Equador), Bahia Tri (Colômbia) e Duo Asi Son (Cuba).

O gestor da FPC, Zulu Araújo, também prestou Consultoria e Pesquisa para a produtora Cine Group – especializada no desenvolvimento de programas de televisão, documentários, vídeos, filmes publicitários, além de curtas e longas-metragens – no projeto “Brasil DNA África”. O documentário investigou a origem de afrodescendentes e a importância dos africanos na construção do Brasil, tendo pesquisado as origens de 150 brasileiros. Com o projeto, Zulu descobriu ser descendente do povo Tikar, de Camarões, e, como parte da série televisiva BrasilDNA África, visitou o local para conhecer a terra de seus antepassados.

Na esfera governamental, é impossível não falar da primeira passagem pela Secretaria de Cultura – através da Fundação Cultural do Estado em 1987 – 1989 e a coordenação-geral da celebração dos 300 anos de Zumbi dos Palmares, em 1995. Além disto, de 2007 a 2010, presidiu a Fundação Cultural Palmares – ligada ao Ministério da Cultura e em 2011 e 2012 foi diretor da Casa da Cultura da América Latina, na Universidade de Brasília (UnB).

Já no âmbito acadêmico, Zulu Araújo publicou inúmeros artigos em diversos periódicos – a exemplo da Revista Científica da Universidade Estadual de Londrina (UEL) -, apresentou conferências e seminários tanto no Brasil como no exterior. Já foi articulista do Terra Magazine (2011-2014), dos jornais baianos, Tribuna da Bahia e A Tarde e, atualmente, escreve para a Revista Raça, nos formatos digital e impresso. Os principais temas abordados por Zulu tratam da cultura afro-brasileira, história, promoção da igualdade e o papel das universidades no desenvolvimento da população e da cultura afro brasileira, entre outros assuntos.