Notícias

Flica encerra com mesa festiva, oficina para a criançada e showS na praça

Mesa-encerramento_site
Juraci Tavares, Nelson Maca e Paulo Lins (Foto: Egi Santana/Flica)

Juraci Tavares, Nelson Maca e Paulo Lins (Foto: Egi Santana/Flica)

A última mesa da Flica reuniu três grandes nomes da cultura brasileira: o poeta e músico Juraci Tavares, o escritor e roteirista Paulo Lins e o professor Nelson Maca. A conversa, fundamentada em toda a obra, vivências e estudos de cada um deles, discutiu sobre aspectos sociais no Brasil, pobreza, inclusão social e a diversidade da cultura negra e sua aceitação perante a sociedade contemporânea.

Entre as discussões, uma análise sobre a pobreza no Brasil e o desenvolvimento das crianças nas favelas. Para Juraci Tavares, a diminuição da maioridade penal não adianta, pois ninguém “nasce médico e ninguém nasce delinquente, as pessoas são transformadas em médico ou delinquente”. Ou seja, para ele sem estrutura base de educação não há como oportunizar uma realidade melhor de vida para  menores carentes. Completando o raciocínio, Nelson Maca citou um de seus textos, no qual fala sobre crianças exploradas sexualmente a troco de drogas.

O bate-papo, nomeado Demarcando espaços e territórios, foi mesclado por declamações e canções de Nelson e Juraci, que se intercalavam em versos ritmados cujo conteúdo completava a temática da mesa. Algumas discordâncias surgiram, como quando Maca disse que a cultura negra ainda é muito desvalorizada em diversos aspectos: artístico, religioso, histórico. Paulo Lins, autor do livro Cidade de Deus já é mais otimista, acredita que a tendência no Brasil é melhorar e acha que a popularidade da literatura já se expandiu.

A mesa teve participações especiais de amigos de Juraci, que declamaram poemas  e, ao final, um pocket show com ele e sua banda, começando com a música “Âncora lilás”.

Oficina de Jardinagem (Foto: Daniele Rodrigues/Flica)

Oficina de Jardinagem (Foto: Daniele Rodrigues/Flica)

Jardinagem na Fliquinha 

A última atração da Fliquinha foi uma Oficina de Jardinagem, por meio do projeto Canteiros Coletivos. O encontro aconteceu inicialmente no Cine Theatro de Cachoeira, com um depoimento da curadora Mira Silva, que agradeceu a presença de todos e se disse lisonjeada em poder colaborar com a expansão da leitura entre as crianças da região.

O grupo formado por pais e crianças seguiu para umas das praças próximas à margem do Rio Paraguaçu e plantou mudas de flores, pé de caju e outros vegetais. No momento as curadoras da Festa, Lilia GramachoMira e até os bombeiros do evento também resolveram participar, colaborando com a expansão da área verde na cidade.

Samba, samba, samba

Juliana Ribeiro (Foto: Egi Santana/Flica)

Juliana Ribeiro (Foto: Egi Santana/Flica)

Mais uma noite animada brilhou em Cachoeira por conta da Flica. Na noite de sábado, 1 de novembro, o palco literalmente estremeceu com três atrações: Samba de Criol²o, Juliana Ribeiro e Samba de Roda Filhos do Caquende. Cada um em seu tempo, conseguiu entreter o público e colocá-lo para dançar.

A folia se estendeu na madrugada de domingo, 2, adentro, até que a última música fosse tocada, com direito a bis.