Notícias

O teatro do absurdo e a relação com a literatura clássica

mateu-e-marcio
Matéi Visniec e Márcio Meirelles

Matéi Visniec e Márcio Meirelles

Cortinas abertas: dos palcos aos livros. Este é o tema da 6ª mesa de debates da Flica que acontecerá no dia 31 de outubro, sexta-feira, às 15h. Dois dos dramaturgos mais premiados do mundo se unem na Bahia para discutir a relação entre os seus textos de teatro do absurdo e a relação com a linguagem literária clássica.  Afinal, se uma arte conduz a outra, por que não a vida artística dos palcos ganhar as páginas dos livros?

Os protagonistas desse espetáculo que a Festa proporciona gratuitamente ao público são Matéi Visniec– cujos textos traduzidos para o português e publicados em livro destacam-se A história do comunismo contada aos doentes mentais e O Último Godot – e Márcio Meirelles. Ele é um dos artistas locais mais consagrados pelo público. Diretor teatral, cenógrafo e figurinista, atua no teatro desde 1972. O filme, que depois virou série de TV, “Ó pai ó”, é baseado em uma de suas peças, “A trilogia do Pelô”.

Para mediar a atuação deles, abrir e fechar as cortinas, Djalma Thürler, diretor de teatro, professor da UFBA, pós-Doutor em Crítica Literária e diretor artístico da Ateliê Voador Companhia de Teatro. Atualmente ele é também Secretário de Cultura e Turismo do município de Madre de Deus (BA).

Essa é uma das mesas mais aguardadas pelo público do evento, que este ano conta com patrocínio da Oi, COELBA e Governo do Estado da Bahia, através do programa FazCultura, acontece dos dia 29 de outubro a 2 de novembro e conta com a participação de outros grandes nomes nacionais e estrangeiros. A reunião da dramaturgia brasileira e europeia enriquecerá o evento na cidade de Cachoeira que é, depois de Salvador, o município baiano que reúne o mais importante acervo arquitetônico no estilo barroco.